Isabella Trevisan, graduada no curso de Direito do UNICURITIBA em fevereiro deste ano, participou, como delegada, da edição de 2019 do European Development Days (#EDD). Neste ano o evento teve como tema “Enfrentando as desigualdades: construindo um mundo que não deixa ninguém para trás” e foi realizado no mês de junho, em Bruxelas, Bélgica.

Cerca de 70 jovens se inscreveram para participar do fórum e apenas quatro foram selecionados para compor a delegação. “A formação que tive no UNICURITIBA foi fundamental para essa conquista, principalmente pelos mestres que encontrei ao longo do caminho, que sempre me incentivaram a desenvolver um pensamento crítico”, frisa.

O processo seletivo leva em consideração a motivação para participar do programa e no ato da inscrição é preciso apresentar uma sugestão de tema de artigo que tenha conexão direta com o evento. “O tema que sugeri trata de como prevenir a violência entre jovens através da redução das desigualdades sociais, com a aplicação eficaz dos Direitos Sociais”, diz.

Ela conta que o evento foi formado por vários painéis simultâneos. “Dentro desses painéis tive a oportunidade de aprender com pessoas que vêm fazendo a diferença, como Kailash Satyarthi, vencedor do Nobel da Paz e responsável pelo movimento Save the Childhood (Bachpan Bachao Andolan). Também participei do painel no qual o antigo Primeiro-Ministro do Reino Unido, Tony Blair, foi um dos palestrantes e explicou como podemos atacar as desigualdades através da governança”, aponta.

Esta foi a primeira experiência da egressa em um evento internacional. “Durante a faculdade ingressei no grupo de pesquisa de Direito Penal Internacional, porém não consegui dar continuidade. Mas o pouco que acompanhei aumentou ainda mais em mim o interesse pelo âmbito internacional”, afirma.

Além da experiência do evento, a delegação também compareceu à sede da Missão do Brasil junto à União Europeia e conheceu o Embaixador Marcos Bezerra Abbott Galvão, o Ministro Conselheiro Carlos Villanova e o Primeiro Secretário Marcelo Martinez.

No momento, Isabella cursa pós-graduação e prepara seu currículo para ingressar em um Mestrado no exterior. “Pretendo me dedicar à pesquisa, em busca de soluções para os problemas de violência, principalmente entre jovens”, projeta.