O Programa de Mestrado em Direito Empresarial e Cidadania do UNICURITIBA realizou, em parceria com outras instituições, a Conferência Internacional “Sistemas de Gobierno y Administración em Puerto Rico”, na primeira semana de março. O evento aconteceu na Sala de Júri do UNICURITIBA e teve coordenação científica da Profª Viviane Séllos Knoerr, coordenadora do Programa de Mestrado em Direito Empresarial e Cidadania do UNICURITIBA, e do Prof. Emerson Gabardo, da UFPR.

Desta vez, a ilustre convidada foi a Profª Maria Del Mar Lopez-Latorre, diretora associada do Programa EJC, da Universidad de Puerto Rico. De acordo com ela, a importância desse tipo de atividade acadêmica é o intercâmbio de ideias entre países. “A palestra é uma análise para estabelecer o que funciona e o que não funciona em um sistema de governo, de acordo com a estrutura de cada país. Às vezes tentamos adaptar conceitos americanos que são aplicáveis especificamente à cultura deles e não tem muito a ver com a nossa. Por isso a importância de inserir Porto Rico em discussões com outros países latino-americanos, inclusive o Brasil, para trocar ideias referente a formas de governo que favoreçam e sirvam o povo”, explica.

Sobre a parceria, o Prof. Gabardo enfatiza a importância de estreitar cada vez mais os laços entre os programas de Pós-Graduação de Curitiba. “Temos um clima de muita solidariedade, muita cooperação, e a ideia é incrementar cada vez mais a colaboração recíproca. Fazer eventos conjuntos, integrar os alunos, realizar publicações em conjunto e fortalecer esse tão importante polo acadêmico da nossa cidade, pensando em um nível internacional de estudos de diversas áreas do conhecimento”, detalha.

Para complementar, a Profª Viviane diz que “além da nucleação e solidariedade realizadas pelas parcerias dos grupos de pesquisa e programas, estamos unidos em torno da intensificação da presença de pesquisadores estrangeiros, visando mais que a internacionalização de nossas pós-graduações, mas objetivando permitir que nossos mestrandos e egressos tenham acesso a autores e pensadores tão distintos e relevantes na nova comunidade jurídica nacional e internacional”, conclui.