Controle da ansiedade ajuda a ter bom desempenho no Exame da OAB

Primeira fase está marcada para o dia 17 de outubro. Coordenadora do curso de Direito do UniCuritiba compartilha dicas para uma boa prova

Estudantes do último ano ou formados no curso de Direito inscritos no 33º Exame da Ordem dos Advogados do Brasil estão a menos de um mês de encarar a primeira fase da prova que será realizada no dia 17 de outubro. Além da rotina de estudos, o controle da ansiedade e do estresse é determinante para o bom resultado no exame.

Quem dá a dica é a coordenadora do curso de Direito do UniCuritiba, Tanya Kozicki de Mello. Com percentual de aprovados nos exames da OAB bem acima da média brasileira, a instituição que faz parte do Ecossistema Ânima – uma das principais organizações de ensino superior do país – prepara seus estudantes ao longo de toda a graduação.

Esse é o segredo que leva tantos estudantes ao sucesso, diz a professora. “A base é feita ao longo de todos os anos de formação. A preparação para a prova não é construída de uma hora para outra, é resultado dos estudos e da dedicação desde o início do curso, sempre com a orientação segura do corpo docente.”

Para participar da prova não é necessário estar formado. Estudantes matriculados no 9º ou 10º períodos do curso de Direito podem fazer o Exame de Ordem Unificado (EOU), mas mesmo aprovados, só obtêm o registro profissional após apresentar o diploma ou certidão de colação de grau e histórico escolar.

As inscrições para a 33ª edição do exame já terminaram. A primeira fase da prova será em outubro e a segunda, em dezembro. Estar preparado e seguro requer organização do estudante, ensina a professora Tanya. Entre as dicas, estão:

  • Distribuir adequadamente o tempo e definir prioridades;
  • Elaborar um plano de estudos e ter disciplina e foco para colocá-lo em prática;
  • Não deixar para estudar na última hora. A pressão e a ansiedade podem ser atenuadas se a preparação for distribuída ao longo da graduação, o que vai trazer mais segurança e tranquilidade;
  • Alguns estudantes optam por cursinhos preparatórios, mas o UniCuritiba realiza oficinas com resolução assistida de questões aplicadas em exames anteriores;
  • Vale a pena participar de maratonas de dicas e ouvir as sugestões dos professores do curso, que podem tranquilizar os examinandos.

Na avaliação da coordenadora do curso de Direito do UniCuritiba, os cursinhos oferecem uma oportunidade de revisão dos conteúdos que foram estudados ao longo da graduação, mas não devem ser considerados um substitutivo.

“Buscar um reforço é uma decisão muito pessoal, mas nossa escola já proporciona uma formação sólida e o Exame é apenas uma etapa, como muitas outras que se apresentarão ao longo da vida profissional”, finaliza Tanya.

Receba os melhores conteúdos e fique por dentro de tudo